BLOG

14-02 - Esclareça suas dúvidas sobre os exames de raios-x

compartilhe:











Dra Márcia Gabriella Barros – Especialista em Radiologia Odontológica


 


Para verificar doenças ou determinar se houve ou não uma lesão após uma queda, é comum que o paciente seja encaminhado para a realização do raio-X. E muitas são as dúvidas sobre esse exame, que apesar de ter evoluído nos últimos anos, ainda causa receio em algumas pessoas. A especialista em radiologia Márcia Gabriella Barros esclarece informações sobre o tema. 


1- Os exames de raios-X são perigosos para a saúde do paciente?


Dra Márcia Gabriella Barros - Não são perigosos. A radiação recebida pelo paciente durante esse exame é insuficiente para causar algum tipo de dano à saúde. É um exame indolor. Além disso, não há risco de contaminação para o paciente quando respeitadas as regras de biossegurança, e, quando se trata de raio-x de diagnóstico, o tipo de radiação produzida pelos equipamentos é a eletromagnética, ou seja, após o disparo pelo acionamento do aparelho ou quando o mesmo é desligado, ele deixa de emitir radiação. 


2- Qual o risco dos exames de raio-x para as grávidas?


Dra Márcia Gabriella Barros - A maioria das radiografias que tem finalidade diagnóstica (no dentista, por exemplo) não expõe o feto a níveis elevados de radiação para que ocorram consequências negativas.  A quantidade de radiação que um bebê recebe quando a mãe faz um raio-x no dentista, por exemplo, é de apenas 0,005 msV.  A maioria dos exames de raio-x não expõe os órgãos reprodutores à radiação, com exceção do raio-x para a região abdominal, que deixa a barriga da mãe e o bebê expostos. Ainda assim, a quantidade comum de radiação em um exame diagnóstico não representa um risco. Entretanto, embora os riscos ligados a radiografias diagnósticas sejam baixos, os especialistas recomendam que as gestantes adiem esses exames para após o parto. Se for inadiável, a gestante deve ficar tranquila e lembrar que a quantidade de radiação que seu bebê receberá está dentro do limite seguro. No dia do exame, recomendamos que a mulher diga ao profissional que está grávida, mesmo que o padrão de radioproteção seja adotado, e isso é obrigatório, assim ela poderá ser melhor instruída se há ou não a necessidade de fazer o exame nesse momento.


3- Os exames de ressonância magnética e ultrassom emitem radiação?


Dra Márcia Gabriella Barros - Esses dois exames não emitem radiação. A ressonância magnética permite a obtenção de imagens por meio da emissão de um forte campo magnético não radioativo que ativa as moléculas de hidrogênio presentes na água e, depois, faz a captação da energia magnética liberada por essas moléculas. Já o ultrassom é um exame que captura imagens através da reflexão de ondas acústicas (imperceptíveis ao nosso ouvido), que são emitidas por um transdutor, ou seja, por aquela parte do aparelho que fica em contato com o paciente.


4- É necessário que o paciente tire as roupas e acessórios na hora do exame de raio-X?


Dra Márcia Gabriella Barros - Dependendo do local do corpo que será o foco do exame, é preciso tirar roupas e acessórios que possam intervir na visualização da imagem. Em exames corriqueiros, como o raio-X de tórax, é comum que o técnico ofereça um avental para a mulher vestir e peça que ela retire o sutiã ou qualquer peça íntima que contenha metal.


5- Quais as recomendações que o paciente deve seguir durante a realização do raio-X?


Dra Márcia Gabriella Barros - No caso das radiografias odontológicas, o paciente recebe pouca radiação, mas precisa se proteger. É obrigatório usar os coletes e protetores de tireoide de chumbo, por exemplo. Esse colete ou avental reduz a radiação nas gônadas a quase zero para homens e mulheres. Por isso, os exames radiológicos odontológicos não representam risco genético. Já o colar de chumbo é usado como protetor para a tireoide e é recomendado para todos os pacientes quando a técnica radiográfica permite o uso.


Outro cuidado importante é se certificar de que a clínica onde está sendo feito o exame possui todas as certificações e respeito aos protocolos de segurança. 


6- As crianças podem fazer exames de raio-x? Existe alguma contraindicação?


Dra Márcia Gabriella Barros - Se depois de um exame clínico, o médico ou dentista julgar necessário o raio-x, é importante saber qual é a dose de radiação que determinado exame emite. Porém, as doses utilizadas rotineiramente nesses exames são seguras e não causam lesões nas crianças. O principal problema é quando eles são feitos repetidamente - isso provoca um acúmulo de dose de radiação. Por isso, todos os profissionais devem estar cientes dos princípios de radioproteção: utilizar as menores doses possíveis e checar se é possível obter o diagnóstico por meio de outro método que não utilize radiação ionizante.

ClickAtivo Software para Web